Fábio Assunção fala da relação Finnegan e Consuelo Thursday, Mar 5 2009 

Amor contido

Ela já deu sinais de que está interessada no doutor que recuperou sua beleza e vitalidade. Mas ele ainda se sente um tanto tímido, talvez por uma questão de ética profissional. Mas partir da próxima semana, a relação entre Finnegan e Consuelo tente a esquentar. Depois do episódio do seqüestro, em que foram feitos reféns dos alemães em seu plano de fuga, os dois vão passar uma temporada no Hospital da Candelária, em Santo Antônio. É ali, um pouco mais distante do inferno na selva e mais próximos um do outro, que acontecem os primeiros beijos.

Mas há o índio, e o carinho que Consuelo tem por ele desperta em Finnegan um certo desconforto. E há Collier que vive levantando suspeitas a respeito da relação, o que só faz aumentar a confusão na cabeça do médico.

Como vocês vêem, muita coisa está para acontecer a partir dos próximos capítulos. É o que Fábio Assunção comenta aqui, entre outros assuntos. Confira:

Você tem se concentrado bastante antes de gravar, sobretudo nas cenas cujo assunto é Consuelo. Por que?

Fábio Assunção: A cena em que você se refere, era um dos pontos-chave da relação entre Finnegan e a Consuelo. Sabe quando você gosta de uma coisa, mas fica alguém te falando que aquilo é ruim e você é menino a ponto de abrir mão daquilo por uma crítica? Acho que a relação que ele tem com a Consuelo é altamente influenciada pelo Collier, essas brincadeiras que o Collier faz, do tipo: – “o índio está pegando…”, acho que isso vai depreciando essa relação com uma mulher que ele acha maravilhosa. Finnegan vai cozinhando a relação, mas naquele momento ele sente que está prestes a perdê-la, o que acontece mais para o final da minissérie. Ali, então achei que cabia a coisa de um choro de menino. E a coisa da concentração foi absolutamente necessária, porque foi um tipo de caminho que escolhi que num outro plano não poderia voltar à meia bomba, tinha que ficar mantendo aquele clima. Para mim foi uma cena de duas horas. Fiquei duas horas em cena tendo o maior prazer e curtindo aquilo.

Seria a mesma coisa se a minissérie fosse gravada no Rio, por exemplo?

Fábio Assunção: Acho que foi muita coragem do Ricardo Waddington ter se optado por gravar na selva. Mas eu concordo com ele: – foi uma coragem necessária. Ter ido para a Amazônia com essa equipe toda, sabemos que é uma operação cara, complicada em termos de logística. E não é só uma questão de grana, mas uma questão de saber fazer, e nisso o Flávio e a Verônica – respectivamente, Flávio Nascimento, diretor de produção e Verônica Esteves, gerente de produção – têm muita experiência. Mas acho que ter estado lá faz a diferença total, não tenho dúvida disso. Tudo bem, poderíamos ter ido à floresta da Tijuca e coisa e tal… Mas a Amazônia é diferente. Estar em loco realmente… Tem uma umidade que não tem no Rio de Janeiro. Calor tem, mas essa umidade que faz a camisa grudar na pele, sabe, essa sensação de suor, os insetos o tempo todo, o repelente que a gente usa. Não sei, mas acho que ter ido foi fundamental.

"Tomás é a figura engraçada do filme, o cara que a gente quer ser, livre e bem resolvido" Thursday, Mar 5 2009 

Fábio Assunção

“Tomás é a figura engraçada do filme, o cara que a gente quer ser, livre e bem resolvido”

O que significa cinema para você?
O cinema, pelo próprio formato, é um produto bem acabado assim como uma minissérie é para televisão. Me estima muito gravar uma cena sabendo que ficará para a eternidade.
O cinema tem um tempo bem próximo ao do teatro, apesar de ser feito através de cameras. Nele o ator se sente tranqüilo para trabalhar o personagem. Outro ponto que me encanta é que como o elenco é menor, ele se parece com uma família, que irá trabalhar junta por um período de dois meses. É muito fascinante. É como se vivêssemos uma nova vida!

O que te motivou a aceitar o projeto Sexo Amor e Traição?
O fato de ter o Jorge Fernando dirigindo, um companheiro de trabalho de muitos anos e que me dirigiu na minha segunda novela na Rede Globo, foi o ponto forte na hora da decisão. Jorge Fernando é um cara que integra as pessoas e que além de ter tem muito bom gosto, é uma figura completa.
A questão do elenco também foi importante, são todos da minha geração, que trabalham constantemente e se dão muito bem. Isso é essencial. Com toda certeza vamos fazer um novo filme com o nosso estilo de interpretação.
O que você mais gosta do Tomás?
O que mais gosto no Tomás é que ele não tem compromisso ético, nem moral. É um viajante, uma figura solta que se diverte com tudo, além de ser muito mulherengo. É a figura engraçada do filme, o cara que a gente quer ser, livre e bem resolvido. É como se fosse um vento nessa história. É o grande personagem desse filme.
Qual momento mais marcante de Tomás?
Quando o Tomás se encontra com ele mesmo, percebe que está vivendo um momento de liberdade e solidão. É o seu conflito interior. Na cena da boate, ele percebe a futilidade que era sua vida, apesar da liberdade que tinha. Esse é o contraponto de nossas vidas. Quando estamos casados pensamos no quanto era bom viver com liberdade e quando isso acontece, queremos exatamente o contrário. Todo mundo vive essa contradição.
E como foi trabalhar com Jorge Fernando nesse filme?
Ele continua o mesmo maluco! É muito intuitivo, espontâneo e criativo e traz consigo uma vida inteira dedicada a isso. O Jorginho te dirige como uma criança, permite a interatividade, pois é muito importante para o ator colocar suas idéias em cena. Todos são artistas num processo de cinema ou de teatro.
Eu repito, que estou fazendo muito esse filme por ser o primeiro de Jorginho Fernando, até porque meu filho acabou de nascer, mas mesmo assim gostaria de compartilhar esse momento com ele e mostra-lo o quanto sou seu fã.

1 9:49 30/01/2007 136615 4.5
2 9:26 30/01/2007 958601 4.5
3 7:16 02/09/2007 38871 5.0
4 6:59 01/09/2007 55375 5.0
5 9:14 01/09/2007 25241 5.0
6 9:45 31/08/2007 142485 4.5
7 9:51 31/08/2007 91245 5.0
8 9:44 29/08/2007 52980 5.0
9 9:03 29/08/2007 57298 5.0
10 9:07 24/07/2007 117403 4.5
11 2:19 14/10/2007 18835 5.0

Um dos talismãs preferidos de Gilberto Braga, Fábio Assunção Thursday, Mar 5 2009 

“Não posso sair três dias com
uma garota, que sai numa
capa que encontrei meu grande amor”, diz o ator
• • •


Confidências
Para os íntimos

Fábio Assunção fala de sua volta às novelas e
da experiência de ser pai solteiro e diz que a falta
de privacidade quase o fez abandonar a carreira
Um dos talismãs preferidos de Gilberto Braga, Fábio Assunção está de volta ao horário nobre. De novo visual e mais magro, o ator vive um mocinho em Paraíso Tropical, o novo folhetim da Globo que estreou esta semana. Solteiro, pai de João, de 3 anos – fruto do casamento com Priscila Borgonovi – o ator revela que já pensou em abandonar a profissão. “Não posso sair três dias com uma garota, que sai numa capa que encontrei meu grande amor”, diz ele.

Gilberto Braga – “Trabalhar com Gilberto é um dos maiores prazeres que tenho. Desde 1994, me convidou para todos os trabalhos que fez. Ele sabe que pode contar comigo, eu sei que posso contar com ele.”

Novo visual – “Gilberto quer sempre que eu fique com a cara do André, da minissérie Labirinto (há 10 anos). Respondo: ‘Mas Gilberto, é muito perto’. Ainda assim, ele pede.

Melhor trabalho – “Quando penso em alguma coisa boa mesmo lembro de Os Maias, que é um trabalho de que eu tenho orgulho.”

Televisão – “Comecei minha vida no teatro, mas a tevê me conquista cada vez mais. Tevê tem papel muito importante na minha vida.”

Cinema – “Fiz dois longas que devem ser lançados este ano. O Primo Basílio foi demais. Daniel Filho tem uma memória incrível, fala de filmes, de clássicos, de nomes. Ele é um diretor extraordinário.”

Corpo – “Dei uma secada, mas isso tem dois anos. Quando acabei Mad Maria, já estava seco. Estou mantendo. Na verdade, é muito
mais o que você deixa de comer do que as horas que você fica
numa academia.”

Filho – “Ele vai a todos os trabalhos comigo. Até para Rondônia já foi. Proporcionar isso para o meu filho é incrível. Só não levo a nenhuma noturna. Mas as externas da novela, de dia, ele vai.”

Futuro do filho – “Vou dar um leque de possibilidades para ele. Se quiser ser ator, vou ficar feliz porque acho uma profissão maravilhosa.”

Guarda compartilhada – “Guarda compartilhada não é necessariamente meio-a-meio do tempo. É compartilhar com a mãe do seu filho o que é melhor para ele. É ter essa flexibilidade e não
virar aquele pai que leva o filho ao Morumbi no fim de semana. Estou vendo-o no fim de semana. Se estivesse fazendo novela em São Paulo, a gente ia dividir meio-a-meio. Mas meu filho não vai faltar na escola porque tenho guarda compartilhada. Senão vou arrumar encrenca, porque mulher você sabe como é que é… (risos) Ele vem às sextas, volta domingo ou segunda. Guarda compartilhada é ter diálogo com a sua ex-mulher, o que é difícil, mas você consegue.”

Solteiro – “Essa exposição hoje demasiada está mudando o comportamento de toda uma geração de artistas. As pessoas não saem mais. A vida está ficando esquisita. A grande coisa da profissão é você ter liberdade. Está chato. Já pensei em largar a profissão por isso e tenho colegas que estão pensando seriamente. Você não pode ir à praia no Leblon que sai na capa da revista de sunga. Não posso sair três dias com uma garota, que sai numa capa que encontrei meu grande amor. Agora, para namorar, tem que ter muita certeza. Tudo tem grandes conseqüências. Seu porteiro te dá os parabéns pelo seu grande amor. O cara do posto de gasolina fala: ‘Pô, finalmente encontrou’. E você fala: ‘O que é isso, cara?’”

ACHEI NA REDE : chat Fábio Assunção Thursday, Mar 5 2009 

FOTO REDE GLOBO,( BASTIRORES GRAVAÇÃO NOVELA PARAISO TROPICAL)

Moderador fala para a platéia: Daqui a pouco, o ator Fábio Assunção participa do chat. O protagonista de Negócio da China fala sobre o triângulo amoroso vivido por seu personagem Heitor, Lívia (Grazi Massafera) e João (Ricardo Pereira). Você já pode enviar sua pergunta!

Fábio Assunção fala para a platéia: Boa noite.

Moderador apresenta a mensagem enviada por noeli.sp: Fabio, estou adorando a dobradinha Heitor e Lívia. Como você definiria o amor deste casal?

Fábio Assunção responde para noeli.sp: Eles se conhecem desde crianças. Tiveram um casamento de muitos anos e um filho de onze anos. Em um momento, ela resolveu ir embora, pois teve o filho muito cedo e foi para Portugal. Aí o Heitor teve a consciência de que a estava perdendo. Então, quando ela voltou, todo o movimento do Heitor foi no sentido de reconquistá-la. É uma história de amor, mas é uma relação já cansada que está tendo que ser reformulada para dar certo. É um novo início. Hoje teve uma cena de ciúmes em que ele vai para cima do João (Ricardo Pereira). Ele tem essa coisa do ciúme que incomoda muito a Lívia.

Moderador apresenta a mensagem enviada por marcelo: É a segunda vez que você é pai na ficção. Como é a sua relação com o elenco mirim?

Fábio Assunção responde para marcelo: O Théo é um menino ótimo. Me dou muito bem com eles, até porque tenho um filho de cinco anos. O Eike Duarte é um menino ótimo. Contracenar com crianças da faixa etária do Eike – 12, 13 anos – não é complicado não, pois ele já entende a cena. No caso do Pedrinho Malta, é tudo mais novo para ele.

Moderador apresenta a mensagem enviada por sara: Qual o seu critério para avaliar o potencial de um personagem? Já aconteceu de você aceitar um papel sem dar nada por ele e o personagem ser um tremendo sucesso?

Fábio Assunção responde para sara: É uma boa pergunta. A novela é uma obra aberta, nunca sabemos o que vai acontecer com o personagem. A gente faz o personagem numa grande coisa ou em algo desinteressante. É claro que ele tem um potencial; alguns personagens estão ali para cumprir um papel maior ou menor. Meus personagens prometem grandes coisas, mas podem se tornar desinterssantes. Aí entra o esforço de fazer com que o público tenha empatia com ele. O Heitor é um cara que tenta reconquistar o amor de Lívia, e isso pode ser uma coisa bacana ou chata. Nosso trabalho é transformar aquele personagem num grande acontecimento.

Moderador apresenta a mensagem enviada por luis: Fabio, você já vez vários mocinhos na TV. Como você se motiva para um novo trabalho, um novo personagem?

Fábio Assunção responde para luis: Fico motivado pelas cenas. Se você pensar num todo, talvez você pense: “Poxa, já fiz isso”. Mas cada cena tem um truque, uma charada, seu encanto. Tento buscar em cada cena a chance de tornar aquele personagem num ser humano.

Moderador apresenta a mensagem enviada por barbara: Voce já se identificou com algum personagem fictício- Bárbara de Salvador – Ba

Fábio Assunção responde para barbara: Tenho uma ex-mulher, mas minha relação com ela é totalmente amigável. Desde que nos separamos, não tivemos nada a não ser uma grande cumplicidade. Não tenho essa coisa de querer reconquistar, mas tenho essa coisa de Heitor de ser sincero com o amor. Me identifico com essa entrega e essa relação que tem com o filho. Dou emprestada a relação que tenho com meu filho para o Heitor. Tenho uma relação de amizade com meu filho. Sou um pai, mas, antes disso, sou um cara que está ali para ser amigo dele. Quando vejo algo que ele precisa corrigir, aí vem o pai dar uma pontuada nisso. Eu tinha o maior carinho pelo Pedrinho em Coração de Estudante. Eu não era pai, mas você não precisa ser pai para agir como um. Eu já tinha essa coisa de curtir criança. Mesmo não tendo filho na época, foi uma relação que fez muito sentido. Sei que conquistei um amigo ali.

Moderador apresenta a mensagem enviada por Daniel: voce gosta de fazer filmes??se for sim pretende fazer algum embreve??

Fábio Assunção responde para Daniel: Tem o filme Bellini e o Demônio. O outro filme que fiz foi Primo Basílio, que já foi lançado em vídeo – quer dizer, DVD! Bellini foi para o festival de Los Angeles, depois Paris, mas não temos dinheiro para lançar no país. Tem o filme Do Começo ao Fim, que acabei de fazer. Mas meu projeto mesmo é lançar o “Bellini”.

Moderador apresenta a mensagem enviada por sandra: Olá Fábio! Falo de Portugal e gostaria de saber quandonos dará a alegria de poder tê-lo por aqui

Fábio Assunção responde para sandra: Adoro Portugal, já estive lá algumas vezes. Fiz Os Maias em Portugal, passei quase dois meses lá. Adoro viajar para lá porque tem o conforto da língua. Os portugueses acompanham e gostam do nosso trabalho. Apareço em Portugal assim que eu tiver uma folguinha. Tenho uma peça para ser engatilhada depois da novela para ser feita em Portugal, só preciso bater o martelo.

Moderador apresenta a mensagem enviada por erasmo: O Heitor vai continuar aceitando as imposições da mãe ou você acha que em algum momento ele irá enfrentá-la?

Fábio Assunção responde para erasmo: Ele já está enfrentando. Ele já pediu autorização para tocar o Rosa Graxa. Ele saiu de casa e está morando com o amor e o filho. Ele já não dá tanta importância para a questão da mãe. Ela quer viver com os dois filhos, não quer que nenhum saia, pois tem medo da solidão. Por isso ela “vodooza” tanto o amor dele com a Lívia. Não teria por que ela ter tanto problema com isso senão o fato de ela achar que ficará sozinha.

Moderador apresenta a mensagem enviada por pati: Qual o papel que voce considera ser o mais marcante de sua carreira?

Fábio Assunção responde para pati: Tem alguns. Estou nessa estrada há 18 anos. Na TV, Celebridade foi um acerto. Sinto que o público curtia o Renato Mendes. Em minissérie, Os Maias foi uma obra incrível. No teatro, Quem Tem Medo de Virginia Woolf foi meu trabalho mais incrível, com direção de João Falcão. No cinema, Primo Brasílio e Bellini e o Demônio são muito importante. Bellini é mais autoral, dei uma cara para o filme. Bellini é mais importante para mim nesse sentido.

Moderador apresenta a mensagem enviada por Adriana: eu gostei muito do seu papel de vilão em Celebridades. O que você prefere fazer: ou vilão ou o mocinho???

Fábio Assunção responde para Adriana: É difícil responder. Vilão é uma delícia, porque você está brincando com a moral. Numa cena de velório, você pode dar uma risada que cabe. O vilão é como o Coringa. Quando fiz o vilão, não quis fazer aquela coisa de “gênio do mal”. Ele era mais atrapalhado. Mas o mocinho tem essa empatia com o público. É sempre uma história de luta, o herói está lutando por alguma coisa. Ele é sempre um exemplo do quê o publico deseja ser na vida. As pessoas também têm vontade de ser como o vilão, às vezes, porque temos vontade de entrar em revolta.

Moderador apresenta a mensagem enviada por wiliam: Até que ponto você acha que o Heitor iria para reconquistar o amor de Lívia?

Fábio Assunção responde para wiliam: O Heitor, do jeito que estou fazendo, acho que ele faria qualquer coisa. Estou fazendo ele “doente” no bom sentido, doente de amor. É um personagem para falar de amor. Apesar de toda a insegurança que tem, ele tem todo um amor por aquela mulher. E ele é corajoso também.

Fábio Assunção fala para a platéia: Nunca fui tão ciumento como o Heitor. Nunca me senti dono de ninguém.

Fábio Assunção fala para a platéia: Esse cara perderia a cabeça para defender a relação dele.

Moderador apresenta a mensagem enviada por paulo: Você ainda sente aquele friozinho na barriga no início de cada trabalho ou você já está habituado com a responsabilidade de interpretar grandes personagens na tv?

Fábio Assunção responde para paulo: Eu sinto um frio, sim. É muito difícil saber se estão ou não gostando da novela. Essa questão de audiência não tem necessariamente a ver com a novela ser boa ou não. Cai a audiência porque você tem outras possibilidades de como assistir. Os amigos ainda dizem que Os Maias foi o máximo, e lembro que na época dizia-se que teve uma audiência baixa. Eu fico na torcida para que as pessoas curtam. Eu fico curioso para saber se as pessoas torcem para no triângulo amoroso da novela. Acho que o Ricardo faz o personagem super bem. Ele me disse que, no fundo, o João está se metendo num casamento. Ele disse que é delicado para ele conquistar uma mulher casada. Disse que tinha que fazer o personagem apaixonado pela mulher, mas com respeito pelo casamento. Eu escolheria esse caminho também. Fico curioso para saber se as pessoas acreditam na verdade do amor entre Heitor e Lívia. E isso que me interessa.

Moderador apresenta a mensagem enviada por leticia: Você acha possível que um casal como heitor e lívia, que ficaram casados por onze anos e se separaram, retomarem o casamento e serem felizes?

Fábio Assunção responde para leticia: Possível, é. Tudo é possível quando se trata de amor, nada é impossível, nenhum tipo de relação é impossível. Sei de histórias de casais que se separaram e voltaram dez meses, casais que vivem juntos há 40 anos. Mas isso acontece quando há verdade. O amor do Heitor é tão verdadeiro que acho possível.

Fábio Assunção fala para a platéia: Obrigado pelo carinho e pelas perguntas. Um beijo grande a todos.

Moderador fala para a platéia: O papo com Fábio Assunção chegou ao fim. Obrigado a todos pela participação no chat de Negócio da China

…………………………….RESOLVI COLOCAR AQUI..

FÁBIO ASSUNÇÃO (EDIÇÃO EC) Wednesday, Mar 4 2009 

FÁBIO ASSUNÇÃO ELEGANTE EM PREMIO Friday, Feb 27 2009 

La Brasileña reemplazará a la Mexicana Wednesday, Feb 25 2009 


El Miércoles 25 de febrero a las 15 hs. Canal 9 estrenará la novela brasilera El Rey del Ganado en reemplazo de Victoria.
La novela, producción de Red globo, cuenta la historia de dos jovenes que se aman a pesar de que sus familias se odian.

FICHA:

Titulo Original: O Rai do Gado
Productora: Rede Globo
Autor de la historia: Benedito Ruy Barbosa
Direccion: Luís Fernando Carvalho, Carlos Araújo, Emílio Di Biase e José Luís Villamarin
Direccion General: Luís Fernando Carvalho
Año de produccion: 1997
Año de exhibición: 1998
Numero de capitulos: 209

PROTAGONISTAS:

Antônio Fagundes
Patrícia Pillar
Raul Cortez
Glória Pires
Fábio Assunção
Sílvia Pfeifer
Carlos Vereza

Estrenos en Canal 9 Madre Luna y El rey del ganado son las dos nuevas producciones que debutarán mañana en la pantalla del canal de Palermo Wednesday, Feb 25 2009 

Mañana debutarán en Canal 9 dos nuevas novelas internacionales, Madre Luna y El rey del ganado.

La primera, que se emitirá a las 11, es una producción de Telemundo y está protagonizada por Amparo Grisalles Gabriel Porras, Ana Lucía Domínguez y Michel Brown. La novela cuenta historia de Alejandra Aguirre, una mujer hermosa e indomable, cuya sensualidad y fortaleza provocan fuertes pasiones y grandes intrigas.

Durante años, Alejandra, quien se ha dedicado a sacar adelante a sus dos hijos, ha sufrido en silencio mientras guardaba un doloroso secreto. Ahora, el destino le guarda una jugada que cambiará su vida: el gran amor de su pasado.

Por su parte El rey del ganado es una producción de Red Globo y se emitirá a las 15. El elenco está intgrado por Antônio Fagundes Patrícia Pillar, Raul Cortez, Glória Pires y Fábio Assunção.

La historia cuenta la vida de Bruno Mezenga, quien al crecer se transforma en el “Rey de los Ganados”. Él sabe del odio que separó a las familias de sus padres y su único sueño es encontrar Marieta – la sobrina a que nunca conoció-para dejarle toda su riqueza.

O Rei do Gado estreia amanhã na Argentina Wednesday, Feb 25 2009 


<!–

–>

As novelas brasileiras seguem agradando na Argentina e na tarde de amanhã haverá uma nova estreia. Trata-se de O Rei do Gado, trama de Benedito Ruy Barbosa que estreou em 1996 na Globo.

O Rei do Gado conta a história de duas famílias, Berdinazzi e Mezenga, que disputam terras no interior de São Paulo. Entretanto, os herdeiros dos dois lados nascem no auge da disputa e quase 60 anos depois, se apaixonam.

Estão no elenco , em um de seus trabalhos mais importantes até A Favorita, Antônio Fagundes, Glória Pires, Fábio Assunção e muitos outros. Esse folhetim de Benedito Ruy Barbosa também foi responsável por revelar nomes como os de Marcello Antony, Caco Ciocler e Lavínia Vlasak.

O Rei do Gado irá substituir Victoria e será exibida no Canal 9 a partir das 14h.

O Rei do Gado foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 17 de junho de 1996 a 15 de fevereiro de 1997, totalizando 209 capítulos na versão original e 130 na versão do canal SIC em Portugal. Escrita por Benedito Ruy Barbosa, teve a colaboração de suas filhas Edmara e Edilene Barbosa. Foi dirigida por Carlos Araújo, Emílio di Biasi e José Luiz Villamarim. Teve direção geral e de núcleo de Luiz Fernando Carvalho.

Apresentou Antônio Fagundes, Raul Cortez e Patrícia Pillar como protagonistas e Glória Pires e Fábio Assunção como os co-protagonistas da trama.

Prêmios

Prêmio APCA

* Melhor Ator – Raul Cortez
* Melhor Atriz Coadjuvante – Walderez de Barros
* Melhor Ator Coadjuvante – Leonardo Brício
* Revelação Masculina – Caco Ciocler

Prêmio Contigo!

* Melhor Novela
* Melhor Atriz – Patrícia Pillar
* Melhor Ator – Raul Cortez

* Atriz Revelação – Lavínia Vlasak
* Ator Revelação – Marcello Antony
* Melhor Vilão – Oscar Magrini
* Melhor Vilã – Glória Pires
* Melhor Par Romântico – Letícia Spiller e Leonardo Brício

Troféu Imprensa

* Melhor Novela
* Melhor Ator – Raul Cortez

Elenco

de acordo com a ordem da abertura da novela.

Ator ↓ Personagem ↓
Antônio Fagundes Antonio Mezenga (primeira fase)
Bruno Berdinazzi Mezenga (segunda fase)
Glória Pires Rafaela Berdinazzi
Patrícia Pillar Luana (Marieta Berdinazzi)
Letícia Spiller Giovanna Berdinazzi
Leonardo Bricio Enrico Mezenga
Cláudio Corrêa e Castro Bepo Vendacchio
Fábio Assunção Marcos Mezenga
Stênio Garcia Zé do Araguaia
Bete Mendes Donana
Sílvia Pfeifer Léia Mezenga
Jackson Antunes Regino
Ana Beatriz Nogueira Jacira
Walderez de Barros Judite
Ana Rosa Maria Rosa
Sérgio Reis Zé Bento (Saracura)
Almir Sater Aparício (Pirilampo)
Jairo Mattos Fausto
Rogério Márcico Olegário
Oscar Magrini Ralf
Iara Jamra Lurdinha
Chica Xavier Freira
Luciana Vendramini Marrita
Maria Helena Pader Júlia
Amilton Monteiro Detetive Clóvis
Paulo Coronato Dimas

Apresentando

Ator ↓ Personagem ↓
Marcello Antony Bruno Berdinazzi
Mariana Lima Liliana
Lavínia Vlasak Lia Mezenga
Caco Ciocler Geremias Berdinazzi
Manuel Boucinhas Giácomo Guilherme Berdinazzi
Tarcísio Meira como “Giuseppe Berdinazzi” ↓
Eva Wilma como “Marieta Berdinazzi”

Atores convidados

Ator ↓ Personagem ↓
Raul Cortez Geremias Berdinazzi
Carlos Vereza Senador Roberto Caxias

Participação especial

Atriz ↓ Personagem ↓
Vera Fischer Nena Mezenga

* Guilherme Fontes – Otávio (Tavinho)
* Caio Cunha – Carlito Mezenga
* Leila Lopes – Suzane
* Luiz Parreiras – Orestes (marido de Suzane)
* Arietha Corrêa – Chiquita
* Liana Duval – Quitéria
* Antônio Pompeo – Dominguinhos
* Cosme dos Santos – Formiga
* Carlos Takeshi – Olavo
* Emílio Orciollo Netto – Giuseppe Berdinazzi
* Ilva Niño – Joana
* Milton Gonçalves
* José Augusto Branco – Josimar
* Mara Carvalho – Bia
* Marcelo Galdino – Geraldino
* Neuza Borges – Marta
* Regina Dourado – Magu
* Caco Baresi
* Sandro Rocha
* Roberto Losan – como ele mesmo
* Cláudio Caparica – sacristão

SEXO AMOR E TRAIÇÃO (Sex, Love and Betrayal) Friday, Feb 20 2009 

Fábio Assunção em SEXO AMOR E TRAICAO parte 2
Adicionado em: 2 anos atrás
Exibições: 134744
9:49
4.5

Fábio Assunção em SEXO AMOR E TRAIÇÃO 1
Adicionado em: 2 anos atrás
Exibições: 951220
9:26
4.5

Fabio Assuncao em Sexo, Amor e Traicao 10
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 37790
7:16
5.0

Fabio Assuncao em Sexo Amor e Traicao 9
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 54703
6:59
5.0

Fabio Assuncao em Sexo, Amor e Traicao 8
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 24534
9:14
5.0

Fabio Assuncao em Sexo, Amor e Traicao 7
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 139550
9:45
4.5

Fabio Assuncao em Sexo, Amor e Traicao parte 6
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 89853
9:51
5.0

Fábio Assunção em SEXO, AMOR E TRAICAO 5
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 52079
9:44
5.0

Fábio Assunção em SEXO, AMOR E TRAICAO 4
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 56134
9:03
5.0

Fábio Assunção em SEXO, AMOR E TRAICAO PARTE 3
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 116203
9:07
4.5

SEXO, AMOR E TRAIÇÃO
Adicionado em: 1 ano atrás
Exibições: 18000
2:19
5.0

Next Page »

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.